Conheça o BioParque Pantanal em Campo Grande MS

Uma imersão que mescla biodiversidade, preservação e educação ambiental: esse é o BioParque Pantanal, um verdadeiro tesouro do Pantanal que você precisa conhecer!

O BioParque Pantanal é um fascinante destino turístico localizado na região do Pantanal. Este centro de conservação da biodiversidade oferece aos visitantes a oportunidade única de explorar a rica ecologia da maior planície alagada do mundo. Com uma área de mais de 20 hectares, o parque abriga uma variedade impressionante de animais nativos, incluindo jaguares, capivaras, ariranhas e aves exóticas.

Além de sua função como atração turística, o BioParque Pantanal também desempenha um importante papel na pesquisa científica e na preservação de espécies ameaçadas, contribuindo para a conscientização sobre a importância da conservação ambiental e da proteção do Pantanal, um dos ecossistemas mais preciosos e frágeis do mundo.

O BioParque também atua como um centro de educação ambiental que se dedica a promover a sustentabilidade e a preservação da vida selvagem. Os visitantes têm a oportunidade de participar de programas interativos, conhecer os esforços de conservação em andamento e aprender sobre os desafios enfrentados pela fauna e flora do Pantanal. Além disso, o parque desempenha um papel crucial na reabilitação de animais feridos ou órfãos, com o objetivo de reintegrá-los à natureza sempre que possível. 

Ou seja, podemos dizer que o BioParque Pantanal é uma atração imperdível para os amantes da natureza e da vida selvagem, oferecendo uma experiência enriquecedora que combina entretenimento, educação e preservação ambiental.

Onde fica e como chegar no BioParque Pantanal?

Para chegar ao BioParque Pantanal, os visitantes geralmente utilizam o Aeroporto Internacional de Campo Grande (CGR), que é o principal aeroporto da região. Localizado a aproximadamente 120 quilômetros do parque, o Aeroporto de Campo Grande oferece voos domésticos e conexões convenientes a partir de diversas cidades do Brasil. 

Uma vez no aeroporto, os visitantes têm a opção de alugar um carro para a viagem até o BioParque Pantanal, que leva cerca de duas horas de carro, ou podem optar por contratar um serviço de traslado que ofereça transporte até o local.

A estrada que liga o aeroporto ao parque oferece uma oportunidade única para apreciar a beleza da paisagem do Pantanal, tornando a jornada parte integrante da experiência de visitar essa incrível região de conservação da biodiversidade.

Como agendar sua visita?

Para visitar o BioParque Pantanal, é importante seguir o processo de agendamento estabelecido. O agendamento é aberto todas as segundas-feiras, a partir das 8h (horário de MS), no site oficial do parque, para datas futuras.

Ele é destinado tanto a visitantes individuais quanto a grupos familiares com até 6 pessoas, empresas e instituições. É importante ressaltar que crianças com dois anos completos também precisam ser agendadas, e é necessário informar o CPF do menor, não sendo aceito o cadastro da criança no CPF do responsável. O BioParque Pantanal não entrega senhas e a entrada é exclusivamente mediante agendamento.

Para escolas que desejam organizar visitas em grupo, o agendamento é aberto todo dia 16 de cada mês, exclusivamente pelo site oficial. Durante o processo de agendamento, o responsável pelo grupo escolar deve fornecer uma lista de visitantes com nome completo e CPF (próprio ou dos responsáveis legais). 

O BioParque Pantanal também possui cotas de 10% para a visita de idosos e pessoas com deficiência, sendo 5% para cada grupo, com cadastro local disponível para os grupos prioritários e preferenciais.

O calendário semanal define os dias de visitação, com terças e quintas reservadas para escolas e os demais dias abertos ao público em geral.

Quais os dias e horários de funcionamento?

O BioParque Pantanal opera de terça a sábado, com horários de funcionamento bem definidos. Durante os dias úteis, o parque abre suas portas de manhã, das 8h30 às 12h, com o último horário de check-in (entrada) permitido até às 11h. À tarde, o parque reabre das 13h30 às 17h30, com o último check-in permitido até às 16h30. 

Já em feriados, o BioParque Pantanal oferece uma janela de funcionamento estendida, das 8h30 às 14h30, com o último check-in permitido até às 13h30.

Esses horários bem organizados garantem que os visitantes tenham tempo suficiente para explorar e desfrutar da experiência do parque, enquanto também asseguram a logística adequada para o fluxo de visitantes ao longo do dia.

Estrutura e aquários

O BioParque Pantanal oferece aos visitantes uma oportunidade única de explorar a rica biodiversidade da região, apresentando diversas áreas e circuitos temáticos que destacam os ecossistemas aquáticos e terrestres do Pantanal, Cerrado e outras regiões do Brasil e do mundo. Abaixo estão alguns dos principais circuitos do parque:

  • Veredas – O berço das águas brasileiras: Este circuito destaca as veredas, formações vegetais essenciais para o ciclo hidrológico do Pantanal e do Cerrado. Inclui espécies como buritis e carandás.
  • Ressurgências – As águas do fundo da terra: Apresenta as ressurgências, afloramentos de água calcária que têm grande importância no ciclo hidrológico e também abrigam peixes coloridos.
  • Riachos de Cabeceira – O caminho das águas: Destaca a importância dos riachos de cabeceira na saúde dos rios maiores e na conservação de espécies de peixes de pequeno e médio porte.
  • Rios de BonitoAs águas cristalinas de Mato Grosso do Sul: Mostra os rios cristalinos da Serra da Bodoquena, lar da piraputanga, um peixe símbolo da região.
  • Rios Grandes: Explora rios profundos e volumosos, destacando peixes de grande porte como o jaú e o pirarucu.
  • Banhado Sucuri – A grandiosa serpente sul-americana: Apresenta o ambiente de banhado, que abriga a sucuri, a maior serpente do mundo.
  • Baía Cachoeira – Piaus, piavas e piavuçus: Destaca um ambiente de água cristalina na Serra da Bodoquena com várias espécies de peixes.
  • Margem do Rio: Explora as margens dos rios pantaneiros, com vegetação variada dependendo das condições locais.
  • Piranhas – Protetoras e vorazes: Mostra as piranhas, peixes predadores que variam sua dieta ao longo do crescimento.
  • Planície Inundada – Rios que extravasam: Destaca a importância das planícies inundadas na região pantaneira durante o período de chuva.
  • Arco-íris – A beleza das cores vivas: Apresenta peixes-arco-íris ativos e coloridos que habitam lagos na Indonésia.
  • Corredeiras da Amazônia – A incrível diversidade das corredeiras: Explora a diversidade de peixes de água doce que habitam as corredeiras.
  • Axolotes – Aliados da pesquisa e ameaçados de extinção: Destaca os axolotes, salamandras com capacidade de regeneração.
  • Baiacus – Os simpáticos, curiosos e perigosos baiacus: Apresenta os baiacus, espécies venenosas de água doce.
  • Mimetismo – Semelhantes, mas diferentes: Aborda o mimetismo entre animais de espécies diferentes.
  • Piramboias – Verdadeiros fósseis vivos: Explora as piramboias, peixes pulmonados encontrados na Amazônia e no Pantanal.
  • Europa – Os rios de água fria: Mostra os rios europeus com águas frias e alta velocidade.
  • África – A riqueza dos lagos africanos: Destaca o Lago Tanganica e sua diversidade de ciclídeos.
  • América – Amazônia Submersa: Apresenta as florestas de igapó e a diversidade de peixes amazônicos.
  • Ásia – Peixes do outro lado do mundo: Explora a diversidade de clima e vegetação na Ásia.
  • Oceania – No coração da Austrália: Mostra o deserto e a vegetação adaptada na região central da Austrália.
  • Igarapés Amazônicos – Caminho das águas no meio das matas: Destaca os igarapés da Amazônia e sua importância.
  • Jacarés – Poderosas mordidas na beira do rio: Apresenta o jacaré-do-pantanal e as ameaças que enfrenta.
  • Neotrópico – Um mergulho na maior diversidade do mundo: Explora a riqueza da região Neotropical e da Amazônia.
  • Baía Vitória-régia – A imponente rainha d’água: Apresenta a vitória-régia e sua importância no ecossistema.
  • Orquidário – Cores, formas e tamanhos: Mostra a diversidade de orquídeas adaptadas a ambientes alagados.
  • Banhados – Os alagados que protegem: Aborda as áreas úmidas e alagadas que servem como habitat e proteção para a fauna.
  • Terras Alagadas – Entre a terra e a água: Explora as regiões com predominância de vegetação flutuante.
  • Lagoa Misteriosa – A caverna inundada mais profunda do Brasil: Apresenta a Lagoa Misteriosa, a caverna inundada mais profunda do Brasil, localizada em Jardim, Mato Grosso do Sul.

Cada um desses circuitos oferece uma experiência única e informativa sobre os diversos ambientes aquáticos e terrestres, bem como as espécies que neles habitam, proporcionando aos visitantes uma imersão na rica diversidade natural do Pantanal e de outras regiões do mundo.


E então, pronto para fazer uma visita ao BioParque Pantanal? Não perca tempo e venha saber mais sobre outros destinos incríveis na região, como a cidade de Campo Grande e Bonito!